The blog
Artigo

ESV Digital Brasil no Rally de Erechim: Let’s Run? #1
Por Alinie Medina

Gabriel Morales é navegador há 10 anos na modalidade Velocidade e parte da equipe ESV Digital Brasil desde 2016. Dizer que a corrida está em seu sangue é mais que literal, seu pai também é navegador e presença frequente nos pódios e sua mãe participava das corridas nos anos 80, onde se conheceram. Gabriel é engenheiro mecânico, Head de Search aqui na ESV Digital Brasil, e navegador da equipe Palmeirinha Rally. No momento da entrevista ele se preparava para o Rally de Erechim (24 de maio de 2017), disputado ao lado do piloto Paulo Nobre.  Quer saber o que o marketing digital e o Rally tem em comum? Confira na primeira parte de nossa entrevista!

Há quanto tempo você está no rally?

Meus pais se conheceram no esporte, a minha mãe corria na década de 80 assim como meu pai, então o esporte sempre foi muito presente na minha vida. Eu comecei como navegador aos 17, são 10 anos de experiência no todo, mas a verdade é que sempre fez parte da minha vida.

Quais são as principais diferenças entre as modalidades?

Dentro do rally de velocidade existem duas divisões: Velocidade e Cross Country, que é esse que a gente não sabe por onde vai passar. Por exemplo, o Rally dos Sertões é um evento de rally Cross Country, ou seja, quando a gente corre a gente não sabe o roteiro exato, a organização fornece o que chamamos de planilha, com algumas indicações que não são muito detalhadas, e a gente vai com um odômetro e às vezes GPS. 

O de velocidade, que é esse que tenho feito, pode se preparar nos dias anteriores, por exemplo: Temos uma corrida sábado, então quinta e sexta podemos passar nos trechos, com carro de rua, para traçar o percurso e tal. Por exemplo: A gente passa num trecho, em baixa velocidade e tudo, e vamos fazendo as anotações.

O que você traz do rally para sua vida profissional e pessoal?

Ser navegador é trabalhar sob pressão constantemente, se dedicar ao máximo e evitar qualquer possível erro, e eu procuro trazer isso para minha vida profissional.

Qual a prova mais difícil que você já enfrentou em toda a sua vida?

Cada prova tem a sua dificuldade, esse de Erechim, por exemplo, é uma prova que vale para o campeonato sul-americano, vem muita equipe de fora e tudo mais. Ele é o maior do Brasil e um dos Maiores da América do Sul, a cidade para pra esse evento. Assim como acontece com o Rally dos Sertões, que é um dos maiores do mundo.

Como é a preparação para se tornar um navegador?

O principal requisito é você ir na Federação e começar a correr. Você precisa ter um piloto, uma equipe, mas você não precisa de nenhum curso especialização, quanto mais você souber, melhor, mas não tem nenhum pré-requisito, o que torna esse esporte mais acessível.

Existe muita pressão em cima do navegador?

Sim, ele não pode errar. É como o goleiro, no futebol se ele faz uma boa partida você não ouve falar, se você ouviu falar é por que ele tomou um frango ou aconteceu alguma coisa.

Na próxima edição vamos trazer detalhes sobre a equipe, as dificuldades enfrentadas pelos atletas do rally no Brasil e sobre a relação entre piloto e navegador. Quer saber mais? Acompanhe nossas redes sociais (conteúdo exclusivo no nosso Instagram, siga já @ESVDigitalBrasilSP) e fique por dentro dos conteúdos mais quentes do momento!